OS 20 INFALÍVEIS PRINCÍPIOS PARA O PROGRESSO E O SUCESSO DAS CIÊNCIAS SOCIAIS NO SÉCULO XXI

Demétrio Cherobini propõe 20 princípios infalíveis para o estudo das ciências sociais.

A+ A-
1. Adote como princípio metodológico o relativismo. Esta é a única regra absoluta absolutamente válida para todas as ocasiões.

2. Evite os temas “macro”. Delimite microscopicamente seu problema de pesquisa, abstraindo seu objeto de todas as relações com o contexto em que ele se insere. Escolha estudar, por exemplo, a dinâmica de socialização heteroafetiva no interior de uma lanchonete de subúrbio às seis horas da tarde de um domingo de Páscoa. Depois, tire dali conclusões teóricas capazes de serem aplicadas a qualquer campo de estudo das ciências sociais.

3. Se estiver com o prazo apertado para a entrega de seu trabalho, deixe a questão do método para segundo plano. Fora, quiçá, os professores de epistemologia e de metodologia científica, que ficaram nos semestres anteriores, ninguém vai se preocupar em verificar se estão bem fundamentadas as suas categorias de análise.

4. Há quem ache que a verdade objetiva não existe. Por outro lado, há quem jure de pé junto que existe. Não se demore muito em questões desse tipo. O tempo urge. Em assuntos científico-sociais de ponta, mais do que verdadeiro é importante ser convincente.

5. Max Weber é o mais fecundo, profundo e prolífico intelectual de todos os tempos. É possível passar uma vida inteira estudando e descobrindo novas informações e insights em suas obras. Sua metodologia se aplica a praticamente tudo. Sua explicação do capitalismo é insuperável.

6. Em diálogos com colegas de orientações teóricas diversas, esteja sempre no ataque. Não é necessário ouvir e meditar demoradamente sobre o argumento do interlocutor. Aconteça o que acontecer, demonstre, de pronto, que ele está errado.

7. Não importa se o conteúdo do seu trabalho é estapafúrdio. O que importa é, sem sombra de dúvida, o aval de quem lhe banca.

8. Max Weber é o mais fecundo, profundo e prolífico intelectual de todos os tempos. É possível passar uma vida inteira estudando e descobrindo novas informações e insights em suas obras. Sua metodologia se aplica a praticamente tudo. Sua explicação do capitalismo é insuperável.

9. O ideal é ser sempre politicamente correto e deixar os preconceitos sob controle. Fazendo isso, você atinge a condição intelectual necessária que lhe permitirá tripudiar e colocar no devido lugar aquele seu colega cabeludo impertinente, que usa camisetas do Che Guevara.

10. Em uma discussão pública, fale grosso. Em ciências sociais, retórica é fundamental.

11. Use os livros da coleção “Primeiros Passos” – principalmente “O que é poder?”, “O que é etnocentrismo?” e “O que são classes sociais?” -, mas não comente com ninguém sobre esse assunto.

12. Max Weber é o mais fecundo, profundo e prolífico intelectual de todos os tempos. É possível passar uma vida inteira estudando e descobrindo novas informações e insights em suas obras. Sua metodologia se aplica a praticamente tudo. Sua explicação do capitalismo é insuperável.

13. Mantenha sua subjetividade sob atenta vigilância epistemológica, não tome partido sobre nenhum conflito, esqueça a política do lado de fora da sala de aula. A neutralidade é a meta. Observe tudo a partir da perspectiva celestialmente sublime e imperturbável de Deus.

14. Trate com grande seriedade e respeito os temas mais simplórios e irrelevantes. Prefira os mais mínimos particularismos. Aquilo que afeta a vida de todo mundo não merece interesse (a totalidade não existe).

15. É de bom tom usar os termos “pós”, “neo” ou “novo” quando estiver tecendo considerações críticas sobre fenômenos do mundo contemporâneo.

16. Tenha opinião formada e seja capaz de falar sobre todos os assuntos. Principalmente quando estiver fora do ambiente acadêmico ou discutindo com um novato.

17. Se você for da ciência política, descarte Marx como sociólogo; se for da sociologia, descarte como filósofo; se for da antropologia, descarte como economicista e reducionista; se for pós-moderno, descarte como moderno; e, finalmente, se for “flexível”, descarte como “rígido”.

18. Se você for positivista, use bons gráficos para exemplificar a realidade social. Mantenha-se atualizado sobre as estatísticas e não se esqueça de utilizar modelos interpretativos do tipo “input” e “output”.

19.O ecletismo teórico te salva de muitos impasses, principalmente em trabalhos de conclusão de curso e em entrevistas de TV.

20. As classes, as lutas de classes e as ideologias estão terminantemente mortas e enterradas desde a queda do Muro de Berlim, em 1989.

 

 OS 20 INFALÍVEIS PRINCÍPIOS PARA O PROGRESSO E O SUCESSO DAS CIÊNCIAS SOCIAIS NO SÉCULO XXI, pelo viés do colaborador Demetrio Cherobini*

Fonte: SCHNAPS, Hans e STEINHAEGER, Fritz. Novos paradigmas, novos olhares e novos discursos: uma introdução às ciências sociais.Londres: Verso, 2001.

*Demetrio é Cientista social, doutorando em Educação pela Universidade Federal de Santa Catarina. Colabora frequentemente com seus textos e suas ideias para a revista o Viés. Leia outros textos publicados por Demétrio na revista o Viés aqui.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this pageEmail this to someone