revista o Viés

A história de uma fotografia

“A negação de ouvir sua história era a afirmação admitida do teor fantasioso dela. Ignorar sua fala e atentar ao seu corpo, sua expressão, a intensidade da fala e a velocidade dela, era permitir um diálogo fantástico de desencontro.”

Leia mais

Os monges copistas

Desde então, F. continuava a contar, o homem destinava para as anotações de monge copista mais e mais prateleiras de suas estantes, e a coleção não parou de aumentar. Um conto de Iuri Müller

Leia mais

Folhas do vento norte (VI). Fim de festa

Estavam no Parque, numa concha que também é clareira, e que se encheu de gente, som e sol para logo voltar ao cansaço, chegar ao fim de festa. O fim de festa é o que se estava vivendo ali. Um conto de Iuri Müller.

Leia mais

Folhas do vento norte (V). Carta a V.

Em poucas semanas o sol será o sol do verão, o sol de dezembro e de janeiro, e então não haverá mais manhãs frescas e tardes amenas. Haverá pouca coisa em movimento e eu te escreverei sem esta calma de hoje. Um conto de Iuri Müller.

Leia mais

O último dia de Horácio

“Nesse dia, Horácio despertou embrulhado em papelão na calçada da Presidente Vargas”. Um conto do colaborador Bruno Flores.

Leia mais

Um conto para Assis Valente

Decidiu assumir seu rancor, desistiu de todos os seus cansaços. Um conto do colaborador Reinaldo Ramos.

Leia mais

Folhas do vento norte (IV). A poeira das casas

Sobre isso conversavam, sobre aquela sina dos habitantes da cidade: não pertencer, mudar-se com frequência e disciplina, ter os casacos sempre a postos, longe dos cabides definitivos dos armários clássicos. Um conto de Iuri Müller.

Leia mais

O embrulhinho

Talvez tivesse deixado-o sobre a mesa. Foi consolando-se com mentiras de algodão-doce, até sentar-se diante da máquina de escrever e constatar que o embrulhinho sumira de fato. Pelo viés da colaboradora Munique Duarte.

Leia mais

Folhas do vento norte (III). Nuvens no fundo do mar

A cerração havia tomado as esquinas e os montes, descera para a cidade como se ali resolvesse ficar por alguns anos. Um conto de Iuri Müller.

Leia mais

São Thomé das Letras em dois atos: (I) O Horizonte do Monte Imantado

Ato I: conto-reportagem. Três viajantes santa-marienses decidiram passar uma noite em São Thomé das Letras, a cidade mineira onde – diz a lenda – quem fica mais de uma semana jamais poderá ir embora.

Leia mais

Folhas do vento norte (II). Depois do sonho

Foi quando resignou-se a acordar e passou a escutar os diálogos que se confundiam com os apitos que o vento trazia de longe. Um conto de Iuri Müller.

Leia mais

Folhas do vento norte. (I) Ônibus noturno

É sábado, dia de aulas esparsas e pouca gente na Universidade e nos arredores. Um conto de Iuri Müller.

Leia mais