DE DILMA, O PIOR

Dilma Roussef é a nova presidente do Brasil. E, infelizmente, não se pode esperar muito dela. Não por aquele fraco argumento usado pelo PSDB durante a campanha, de que ela era despreparada. Dilma é uma das pessoas mais preparada para governar esse país, e seu currículo é a prova disso. O problema é governar para quem, e ao lado de quem.

A+ A-

Dilma Roussef é a nova presidente do Brasil. E, infelizmente, não se pode esperar muito dela. Não por aquele fraco argumento usado pelo PSDB durante a campanha de que ela era despreparada. Dilma é uma das pessoas mais preparadas para governar esse país e seu currículo é a prova disso. O problema é governar para quem e ao lado de quem.

O PT já abdicou do seu programa fundacional há tempos: o programa democrático-popular. Acreditava-se que, através de reformas de base, iniciar-se-iam mudanças bruscas no Brasil rumo à verdadeira democracia. Em 8 anos de governo Lula, nenhuma reforma de base foi feita. Na Previdência Social, houve um retrocesso. No campo, famílias demoram mais tempo para serem assentadas do que no governo FHC.

No campo econômico, o governo Dilma não deverá diferir em nada de Lula e de FHC. Manterá os juros altos e a liberdade do Banco Central. Não há sinais de que uma Reforma Tributária, na qual os ricos paguam mais impostos que os pobres, esteja por vir. O Brasil seguirá economicamente desigual.

Quanto aos movimentos sociais, pode haver um avanço. Não para o governo Dilma, mas para o país. Dilma não tem o mesmo carisma que Lula. Não terá a mesma tranquilidade para segurar MST, CUT e UNE com uma mão e Collor, Sarney e os banqueiros com a outra. Não é a mesma coisa receber migalhas em projetos sociais de Lula que de Dilma. E, com a crise econômica, Dilma deve ter que tomar lado – algo que Lula evitou fazer em seu governo. E o lado mais fraco é o dos movimentos sociais.

Espera-se que esse movimentos se rebelem contra o governo Dilma e que a esquerda se reorganize para fazer uma oposição combativa e coerente a decisões neoliberais do PT. E também que haja um real descolamento da base desses movimentos e do próprio PT. De Dilma, só há de se esperar o pior.

DE DILMA, O PIOR pelo viés de Mathias Rodrigues
mathiasrodrigues@revistaovies.com

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this pageEmail this to someone
  • Ivan Nagy

    Ola Mathias Rodrigues,
    Primeiro parabens pela matéria, é uma das poucas sem esteriótipos da Dilma e talvez a mais sensata.

    Mas você falou em receber migalhas de Lula/Dilma, bom acredito que você sabe que quem recebe este dinheiro é muito pobre, familias com uma renda de mais ou menos 70,00 reais por pessoa, acho que o valor do bolsa familia por exemplo garante arroz e feijão na mesa todo dia.

    Você ja sentiu fome de doer a barriga e ter até vontade de vomitar, imagina isso todos os dias.

    se você puder me responder por e-mail gostaria de saber se entendi migalhas da maneira correta

    grato

  • Cristiano

    Só faltou dizer que não há diferença entre PSDB e PT, daí seria o ponto final para o qual o texto se dirige.

    Se Dilma é tão ‘contra’ os movimentos sociais, gostaria da explicação do motivo de o MST tê-la apoiado.

    Bolsa- família não é migalha, é o que define que terá feijão e arroz na mesa de quem passa fome. A direita fala que é bolsa vagabundagem, e parte da esquerda que é bolsa miséria. Eu, diferentemente, acredito que é o impulso, o ‘plus’ necessário para auxiliar quem precisa.

    O rumo democrático- popular do governo Dilma é visível, porém, obviamente ela fará muitas concessões, assim como lula fez, caso contrário seria impossível governar o país, que querendo ou não, tem uma veia conservadora bem saliente.

    Cristiano