NOSSA QUIMERA

O Viés não é um, são oito. Surgiu com o intuito de refazermos o espírito das revistas independentes que, por anos, circularam pelo país. Inicialmente, idealizamos formatos e maneiras de difundir uma revista simples, mas que prezasse por uma construção plural de conteúdo. O fato de não termos vínculos institucionais não diminui a nossa dedicação. O Viés não é um, somos oito

A+ A-

O Viés não é um, são oito. Surgiu com o intuito de refazermos o espírito das revistas independentes que, por anos, circularam pelo país. Inicialmente, idealizamos formatos e maneiras de difundir uma revista simples, mas que prezasse por uma construção plural de conteúdo.  O fato de não termos vínculos institucionais não diminui a nossa dedicação. O Viés não é um, somos oito:

Imaginar uma revista é fácil. Ser já é mais trabalhoso. Trabalhoso é uma questão ambígua. Fadiga de trabalho é uma coisa, trabalhar com vontade para que tudo dê certo, fazendo o leitor sentir a seriedade, é diferente. Esta revista é talvez a utopia estudantil de incomodados com tanta comodidade dos meios. Porém, sigo a palavra utopia não como plano irrealizável mas como o sonho diário de realização.

Bibiano Girard

A revista o Viés é, para mim, liberdade e experiência. Na inviabilidade financeira de um meio impresso, temos a internet.  Na impossibilidade de uma redação materialmente estruturada, temos nossas casas e o diálogo. Para fazer aquilo de que tanto ouvimos falar, temos as ruas. Não é uma anarquia – no termo estigmatizado, e sim uma nova forma que voa, encontrando-se multifacetada como o nosso tempo.

Caren Rhoden

Foram dois os conceitos que me atraíram na idéia da revista o Viés: O primeiro é a liberdade, o segundo, a visibilidade. Liberdade de pautar-me, escrever sobre as coisas que me interessam, explorar o máximo que posso, enquanto ainda não sou limitado pelas regras do mercado. E a visibilidade que dificilmente seria alcançada com os trabalhos acadêmicos que realizo. A revista o Viés tem me ensinado o gosto pela profissão que escolhi. Espero que leiam com o mesmo gosto com que escrevo.

Felipe Severo

Um sítio que é uma revista ou uma revista que é um sítio? Em tempos em que qualquer pessoa  aproveita a rede para expor o que pensa, a revista o Viés a aproveita como plataforma de publicação e de expansão. Não queremos só dizer o que pensamos mas também pensar no que dizemos. O Viés é um  púlpito para nos conhecermos como aspirantes a jornalistas e, no lugar de almejarmos o vil metal, simplesmente escrevermos. Escrever para, por e sobre o mundo.

Gianlluca Simi

A ideia do Viés é e sempre foi a liberdade de opinião. Nascida para ser impressa a revista foi se tornando cada vez mais digital com o passar do tempo, talvez uma herança dos nossos tempos cibernéticos. É aquilo que gostaríamos da nossa Imprensa, é colocar à prova nossa capacidade, é botar pra fora aquilo que nos incomoda e o que nos move, do nosso jeito, pelo noss’o Viés.

João Victor Moura

Nunca quis ir da apuração à redação da matéria em um só dia. Pensava em algo com um mínimo de tempo, sem imposição de pauta, sem pressa. Porque a pressa pode vir acompanhada de conclusão atropelada, uma espécie de conclusão não concluída. Pensava em espaço livre para escrever, que não fosse cortado pelos anúncios extravagantes da publicidade. Aqui é assim, pode ser assim. E se a matéria ficar ruim, aí sim a culpa é minha e de mais ninguém.

Liana Coll

Para mim, a revista é um porto seguro, onde não há censura, direta ou indiretamente. Não respondemos ao mercado, somos independentes, e, com isso, podemos publicar tudo aquilo que muitos jornalistas de grandes meios de comunicação gostariam de publicar, mas, que se o fizessem, logo seriam demitidos. O Viés é liberdade.

Mathias Rodrigues

O Viés para mim foi, no começo, um almoço. Eram dois colegas e hoje são dois amigos. Acho que foi meio sem querer que eles acabaram me colocando na ideia – “temos um projeto, e por enquanto é segredo. topas?” – e eu topei. Mal sabemos o que nos leva a embarcar em uma jornada ou abraçar alguma causa ou ideia, mas o Viés hoje é para mim uma forma consolidada de pensar e fazer jornalismo – ao lado de amigos, o que só torna tudo ainda mais especial.

Nathália Costa

Juntos, somos o Viés.

NOSSA QUIMERA, pelo nosso Viés

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this pageEmail this to someone
  • nana colbert

    Só posso dizer uma coisa: sinto-me feliz por participar, como leitora, deste início.

    E desejo muita sorte ao projeto de vocês, que é excelente!

    Sucesso!

  • Paulo Roberto

    Parabéns para vocês, continuem.
    Abraço grande

  • Emilene

    Sucesso!

  • Rosana Abreu

    Muito bom poder ler as verdadeiras ideias sem cortes e sem censura de vocês, com a total liberdade que vocês têm aqui. Nada como pensar livremente e poder expressar isso. Sorte e sucesso pra vcs. Estarei acompanhando e torcendo. Abraço a todos.

  • Rondon de Castro

    Blá, blá, blá…menos confete e mais texto.

  • Ivan Nagy

    Engajados e adversativos
    parabens