NUOVO CINEMA PARADISO

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=5WQLdZ7d9Lc]Não há como assistir Cinema Paradiso e, ao fim, não estar tocado. É um filme de lembranças, grandes lembranças. Não assista procurando entretenimento de final de tarde. Mesmo com uma história fascinante e por vezes hilária, Cinema Paradiso atrai pela nostalgia que retrata a cada cena. São conversas acontecidas entre uma criança, Toto, com um […]

A+ A-

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=5WQLdZ7d9Lc]Não há como assistir Cinema Paradiso e, ao fim, não estar tocado. É um filme de lembranças, grandes lembranças. Não assista procurando entretenimento de final de tarde. Mesmo com uma história fascinante e por vezes hilária, Cinema Paradiso atrai pela nostalgia que retrata a cada cena. São conversas acontecidas entre uma criança, Toto, com um velho projecionista, Alfredo.

Rapidamente, uma sinopse. O filme inicia com a ligação da mãe de Salvatori di Vita, no caso, Toto quando adulto. Alfredo morreu e sua mãe acha bom dar-lhe essa notícia pois, quem sabe, o filho retorne a cidade onde nasceu pelo menos para uma visita. Começa aí um grande filme, poderíamos dizer inesquecível. Quando assistir, ou se já assistiu, é impossível esquecer os gritos infantis de Toto chamando por Alfredo.

Foi vencedor do Oscar como melhor filme estrangeiro, Globo de Ouro também na categoria de melhor filme estrangeiro, Festival de Cannes com o Grande Prêmio do Júri, indicado a Palma de Ouro, perdendo para “Sexo, Mentiras e Videotape”,  venceu o prêmio de melhor Poster e foi indicado a categoria de melhor filme estrangeiro no Prêmio César,  foi indicado pela Academia Japonesa de Cinema como melhor filme estrangeiro, venceu o prêmio David di Donatello, na própria Itália, como a melhor música, venceu o Prêmio Bafta nas categorias melhor ator (Philippe Noiret), melhor ator coadjuvante (Salvatore Cascio), melhor filme em língua não inglesa, melhor trilha sonora original e melhor roteiro original, indicado nas categorias de melhor fotografia, melhor figurino, melhor diretor, melhor edição, melhor maquiagem e melhor direção de arte.

Filme: Cinema Paradiso Ano: o mesmo de Áta-me Direção: o mesmo de “A lenda do pianista do mar” Produção: o mesmo de “A patrulha perdida” Elenco: Philippe Noiret de “O Carteiro e o Poeta”, Jacques Perrin de “Pele de asno” e Salvatore Cascio de “Estamos todos bem”.

NUOVO CINEMA PARADISO, pelo viés de Bibiano Girard

bibianogirard@revistaovies.com

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this pageEmail this to someone