MANU CHAO E O ÁLBUM "CLANDESTINO"

Clandestino é como se chama o primeiro álbum solo do músico Manu Chao. Francês filho de espanhóis, mas com ligações profundas com a América Latina, Manu Chao, em 1986, formou a banda de punk rock Mano Negra. Nela esteve por 5 anos. Depois de um tempo, volta ao cenário musical com trabalho solo. Nas 16 […]

A+ A-

Álbum "Clandestivo". Imagem: reprodução.

Clandestino é como se chama o primeiro álbum solo do músico Manu Chao. Francês filho de espanhóis, mas com ligações profundas com a América Latina, Manu Chao, em 1986, formou a banda de punk rock Mano Negra. Nela esteve por 5 anos. Depois de um tempo, volta ao cenário musical com trabalho solo.

Nas 16 músicas do álbum Clandestino o artista mistura ritmos como mariachi, flamenco, salsa, reggae e folk rock. Pode parecer estranho escrever sobre um álbum considerado “antigo”, já que depois dele Manu Chao já realizou outros trabalhos. Mas o fato é que o álbum, na época, foi uma surpresa musical, inclusive para o cantor, que não esperava tão boa recepção.

Manu Chao (na verdade Jose-Manuel Thomas Arthur Chao) viveu por 25 anos na França e depois começou uma vida de viagens pela África e pela América. Morou alguns meses no Brasil, quando gravou uma música com a banda Skank, e conheceu as realidades de diversas culturas.  Também gravou uma participação especial com a banda Paralamas do Suecesso e ainda neste ano realizou apresentações em Araraquara e em Santos, na Virada Cultural Paulista.

Problemáticas socias são abordadas em muitas das letras, as quais são escritas em maior parte na língua espanhola, mas que também podem ser ouvidas em português, inglês e francês. A faixa Lágrimas de ouro, por
exemplo, é cantada em espanhol mas é cortada por um fundo de uma narração de jogo de futebol em português.

A mistura de ritmos latinos e africanos soa muito agradável. É como uma união de diversas maneiras de ser, as quais,na verdade, dentro de milhões de diferenças, tem muito em comum.

Depois de Clandestino, Manu Chao já gravou mais seis álbuns, sempre colocando ritmos e experiências novas. Abaixo: vídeo, letra e tradução da música que dá nome ao álbum, Clandestino:

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=ptSYXBlJaZQ&p=DEDD188609F7E1C4&playnext=1&index=6]

Clandestino

Solo voy con mi pena
Sola va mi condena
Correr es mi destino
Para burlar la ley
Perdido en el corazón
De la grande Babylon
Me dicen el clandestino
Por no llevar papel
Pa’ una ciudad del norte
Yo me fui a trabajar
Mi vida la dejé
Entre Ceuta y Gibraltar
Soy una raya en el mar
Fantasma en la ciudad
Mi vida va prohibida
Dice la autoridad
Solo voy con mi pena
Sola va mi condena
Correr es mi destino
Por no llevar papel
Perdido en el corazón
De la grande Babylon
Me dicen el clandestino
Yo soy el quiebra ley
Mano Negra clandestina
Peruano clandestino
Africano clandestino
Marijuana ilegal
Solo voy con mi pena
Sola va mi condena
Correr es mi destino
Para burlar la ley
Perdido en el corazón
De la grande Babylon
Me dicen el clandestino
Por no llevar papel
Argelino clandestino
Nigeriano clandestino
Boliviano clandestino
Mano negra ilegal

Clandestino – tradução

Sozinho vou com minha dor
Sozinha vai minha condenação
Correr é meu destino
Para burlar a lei
Perdido no coração
Da grande babilônia
Me chamam clandestino
Por não levar papel
Para uma cidade do norte
Eu fui trabalhar
Minha vida deixei
Entre Ceuta e Gibraltar
Sou uma arraia no mar
Fantasma na cidade
Minha vida vai proibida
Diz a autoridade
Sozinho vou com minha dor
Sozinha vai minha condenação
Correr é meu destino
Por não levar papel
Perdido no coração
Da grande babilônia
Me chamam clandestino
Eu sou o quebra-lei
Mano Negra clandestina
Peruano clandestino
Africano clandestino
Marijuana ilegal
Sozinho eu vou com minha dor
Sozinha vai minha condenação
Correr é meu destino
Para burlar a lei
Perdido no coração
Da grande babilônia
Me chamam clandestino
Por não levar papel
Argelino clandestino
Nigeriano clandestino
Boliviano clandestino
Mano Negra ilegal

CLANDESTINO, pelo viés de Liana Coll

lianacoll@revistaovies.com

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this pageEmail this to someone
  • leylah

    Amo manu chao…Acho que ele é um dos poucos artistas da atualidade que conseguiu aliar o talento artístico com a preocupação social…