UM PRESENTE NÃO FURTADO, MAS DE FURTADO

Para presentear esta revista, Jorge Furtado enviou sua primeira tradução de um soneto do poeta romântico inglês John Keats. A seguir, o poema e sua tradução que também podem ser encontrados no blog de Jorge Furtado.

A+ A-

Jorge Furtado é cineasta porto-alegrense. Foi roteirista de “O coronel e o lobisomem”, “Lisbela e o prisioneiro”, “Benjamin” entre outros.  Como diretor e roteirista trabalhou em grandes obras lembradas pelo público como “Decamerão, a comédia do sexo”, “Luna Caliente”, “Houve uma vez dois verões”, “Meu tio matou um cara”, “O homem que copiava” e aquele que, para a crítica nacional, é o seu ápice: “Saneamento básico, o filme”, além do renomado curta-metragem “Ilha das Flores”.

Para presentear esta revista, Jorge Furtado enviou sua primeira tradução de um soneto do poeta romântico inglês John Keats. A seguir, o poema e sua tradução que também podem ser encontrados no blog de Jorge Furtado.

On Fame

Fame, like a wayward girl, will still be coy

To those who woo her with too slavish knees

But makes surrender to some thoughtless boy

And dotes the more upon a heart at ease.

She is a Gipsey, will not speak to those

Who have not learnt to be content without her

A Jilt, whose ear was never whisper’d close,

Who thinks they scandal her who talk about her

A very Gipsey is she, Nilus-born,

Sister-in-law to jealous Potiphar,

Ye love-sick Bards! repay her scorn for scorn;

Ye Artists lovelorn! madmen that ye are!

Make your best bow to her and bid adieu,

Then, if she likes it, she will follow you.

X


Sobre a Fama

Fama, moça mimada, sempre diz não

A quem por seu amor rasteja

E se arreganha para o mais moscão

Que não ligou, não a quer, nem a corteja

É uma cigana, nunca vista junto

A quem não fica em pé sem seu suporte

Traíra, é incapaz de dar assunto

A quem supõe que por alguém se importe

Das meretrizes, a mais vagaba

Prima irmã da cobra peçonhenta

Poetas: o desdém é a melhor paga!

Doido é o esteta que só Fama intenta.

Diga a Fama: “Adeus, tenho que ir”.

Se ela gostar de você, vai lhe seguir.

UM PRESENTE NÃO FURTADO, MAS DE FURTADO, pelo nosso viés

ocorreio@revistaovies.com

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this pageEmail this to someone