Mais
  • Todas as formas de fantasias entre quatro paredes. Pelo viés dos colaboradores Laura Gheller e Luiz Henrique Coletto.

    MUITO PRAZER, SEXO.

    Todas as formas de fantasias entre quatro paredes. Pelo viés dos colaboradores Laura Gheller e Luiz Henrique Coletto.

  • A historiadora Tainá Valenzuela conta a história de esperança e ruína da Swift Armour no pampa gaúcho.

    SWIFT ARMOUR: A ESPERANÇA, O PROGRESSO E A RUÍNA.

    A historiadora Tainá Valenzuela conta a história de esperança e ruína da Swift Armour no pampa gaúcho.

  • Diga seu nome completo, data de nascimento e naturalidade. José Carlos Vargas Valenzuela, 1º de novembro de 1953, Rosário do Sul. O senhor não trabalhou na Swift, mas numa empresa com ligação à ela, que é a Cabanha Azul de Porto Alegre. Sim, sim, eu trabalhei na Cabanha Azul, que forneceu “anos” gado pra Rosário. Mandava cerca de 2 ou 3 mil bois por mês pra Swift, lá por 70 e poucos, 74… Eu trabalhei lá de 85 a 91. E tendo trabalhado na Cabanha Azul quando a Swift já não era existente, o conhecimento sobre o assunto se deve à quê? Ah, desde roda de amigos até os assuntos da Cabanha Azul. A Swift era a coisa mais importante...

    ENTREVISTA COM JOSÉ CARLOS VALENZUELA

    Diga seu nome completo, data de nascimento e naturalidade. José Carlos Vargas Valenzuela, 1º de novembro de 1953, Rosário do Sul. O senhor não trabalhou na Swift, mas numa empresa com ligação à ela, que é a Cabanha Azul de Porto Alegre. Sim, sim, eu trabalhei na Cabanha Azul, que forneceu “anos” gado pra Rosário. Mandava cerca de 2 ou 3 mil bois por mês pra Swift, lá por 70 e poucos, 74… Eu trabalhei lá de 85 a 91. E tendo trabalhado na Cabanha Azul quando a Swift já não era existente, o conhecimento sobre o assunto se deve à quê? Ah, desde roda de amigos até os assuntos da Cabanha Azul. A Swift era a coisa mais importante…

  • Bom, pra começarmos, preciso que o senhor me diga seu nome completo, sua data de nascimento e o lugar onde o senhor nasceu. Edgar do Couto Severo, 1930, 17 de novembro, Rosário do Sul. Por quanto tempo o senhor trabalhou na Swift? Uma média de… Mais ou menos assim… 8 ou 10 anos. Comecei a trabalhar lá em 1948. Em que setor o senhor trabalhava? Trabalhei em diversos setores, no departamento de pontos, depois fui transferido pra o serviço de guarda, depois fui transferido para a conserva, onde se fabricava a conserva… Trabalhei nos setores onde se cozinhava “as conservas”. Enfim, foram várias. O senhor tem alguma lembrança de quando o senhor trabalhou lá, desde a rotina, os amigos, alguma...

    ENTREVISTA COM EDGAR DO COUTO SEVERO

    Bom, pra começarmos, preciso que o senhor me diga seu nome completo, sua data de nascimento e o lugar onde o senhor nasceu. Edgar do Couto Severo, 1930, 17 de novembro, Rosário do Sul. Por quanto tempo o senhor trabalhou na Swift? Uma média de… Mais ou menos assim… 8 ou 10 anos. Comecei a trabalhar lá em 1948. Em que setor o senhor trabalhava? Trabalhei em diversos setores, no departamento de pontos, depois fui transferido pra o serviço de guarda, depois fui transferido para a conserva, onde se fabricava a conserva… Trabalhei nos setores onde se cozinhava “as conservas”. Enfim, foram várias. O senhor tem alguma lembrança de quando o senhor trabalhou lá, desde a rotina, os amigos, alguma…

  • Meu nome é Nadir Fernandes do Santos, nasci em 31 de dezembro de 1950 na cidade de Rosário do Sul. Trabalhei na Swift Armour em 1969 durante um ano, no setor de frozen e eu trabalhava no departamento de carnes. Tenho muitas lembranças boas e muitas curiosidades também! Uma das lembranças boas é que “nós comia” carne lá, ela era “cozinhada” e a gente levava temperinho de casa e comia a carne, eu e os colegas de trabalho, mas tudo escondido do chefe! (risos)  Nadir conta uma coisa que aconteceu lá. Nadir: Uma noite, um dia lá, eu subi numa escadaria pra verificar a pressão da água, a caloria da água, quando eu voltei caí num balde de água quente!...

    ENTREVISTA COM NADIR FERNANDES DOS SANTOS

    Meu nome é Nadir Fernandes do Santos, nasci em 31 de dezembro de 1950 na cidade de Rosário do Sul. Trabalhei na Swift Armour em 1969 durante um ano, no setor de frozen e eu trabalhava no departamento de carnes. Tenho muitas lembranças boas e muitas curiosidades também! Uma das lembranças boas é que “nós comia” carne lá, ela era “cozinhada” e a gente levava temperinho de casa e comia a carne, eu e os colegas de trabalho, mas tudo escondido do chefe! (risos)  Nadir conta uma coisa que aconteceu lá. Nadir: Uma noite, um dia lá, eu subi numa escadaria pra verificar a pressão da água, a caloria da água, quando eu voltei caí num balde de água quente!…

  • Analisando o termo "homofobia" chegamos à conclusão de que o termo é mal usado. Pelos colaboradores Bruno Mendonça e Laura Nascimento.

    HOMOFOBIA NÃO É “FOBIA”

    Analisando o termo “homofobia” chegamos à conclusão de que o termo é mal usado. Pelos colaboradores Bruno Mendonça e Laura Nascimento.

  • Charge de Rafael Balbueno.

    SENADOR “MAURICINHO” É AUTUADO EM BLITZ DA LEI SECA

    Charge de Rafael Balbueno.

  • ESTANTE. O que Narradores de Javé e Josué Guimarães têm em comum. Pelo viés de Bibiano Girard

    NARRADORES DE JAVÉ E JOSUÉ GUIMARÃES?

    ESTANTE. O que Narradores de Javé e Josué Guimarães têm em comum. Pelo viés de Bibiano Girard

  • O RETO: A colaboradora Júlia Schnorr expõe seus passos por Colonia, no Uruguay, através das lentes.

    OS PASSOS EM COLONIA

    O RETO: A colaboradora Júlia Schnorr expõe seus passos por Colonia, no Uruguay, através das lentes.

  • : Como a chapa avalia a expansão da universidade – REUNI -, visto que problemas práticos e burocráticos vêm ocorrendo há tempos, como a falta de espaço físico e a MP 525, que proíbe a contratação de professores efetivos?   Márcia: Então, a gente considera muito importante a expansão da universidade pública gratuita e de qualidade. A gente sempre luta por um número maior de vagas e de acesso, e também de permanência na universidade. O REUNI veio com uma proposta de expansão mas deixou a desejar na questão da qualidade do ensino. Colocaram muita gente para dentro da universidade mas não deram condições estruturais como número de professores, laboratórios, salas de aula. Os cursos foram construídos de forma bastante...

    ELEIÇÕES DCE UFSM: CHAPA 1 – EM FRENTE [PARTE III]

    : Como a chapa avalia a expansão da universidade – REUNI -, visto que problemas práticos e burocráticos vêm ocorrendo há tempos, como a falta de espaço físico e a MP 525, que proíbe a contratação de professores efetivos?   Márcia: Então, a gente considera muito importante a expansão da universidade pública gratuita e de qualidade. A gente sempre luta por um número maior de vagas e de acesso, e também de permanência na universidade. O REUNI veio com uma proposta de expansão mas deixou a desejar na questão da qualidade do ensino. Colocaram muita gente para dentro da universidade mas não deram condições estruturais como número de professores, laboratórios, salas de aula. Os cursos foram construídos de forma bastante…

  • : Desde o surgimento do DCE, integrantes de várias chapas além dos anos tornaram-se políticos influentes no estado e no país. O afastamento com a política é impraticável, já que política faz parte do cotidiano de todos. Contudo, qual a posição da chapa quanto à divisória partidária das chapas concorrentes? Isso seria evidente pela união de pessoas com os mesmos ideais e interesses quanto à dirigência do Diretório ou poderia ser visto como um braço dos partidos dentro da universidade?   Diego Adolfo Pitirini: As questões que envolvem os partidos e a divisão partidárias na disputa pelo DCE é logicamente pertinente. A gente vive um período de democracia no país aonde as pessoas têm a liberdade para construir os partidos...

    ELEIÇÕES DCE UFSM: CHAPA 1 – EM FRENTE [PARTE II]

    : Desde o surgimento do DCE, integrantes de várias chapas além dos anos tornaram-se políticos influentes no estado e no país. O afastamento com a política é impraticável, já que política faz parte do cotidiano de todos. Contudo, qual a posição da chapa quanto à divisória partidária das chapas concorrentes? Isso seria evidente pela união de pessoas com os mesmos ideais e interesses quanto à dirigência do Diretório ou poderia ser visto como um braço dos partidos dentro da universidade?   Diego Adolfo Pitirini: As questões que envolvem os partidos e a divisão partidárias na disputa pelo DCE é logicamente pertinente. A gente vive um período de democracia no país aonde as pessoas têm a liberdade para construir os partidos…

  • Entrevista com a Chapa 1 - Em frente, candidata às Eleições 2011 do Diretório Central dos Estudantes da UFSM.

    ELEIÇÕES DCE UFSM: CHAPA 1- EM FRENTE

    Entrevista com a Chapa 1 – Em frente, candidata às Eleições 2011 do Diretório Central dos Estudantes da UFSM.

instant text loan lenders | loans for personal needs | http://www.revistaovies.com/women-taking-levitra-approved.html | viagra vs cealis forum