UM FILÓSOFO DOS LIVROS

Escondidas atrás de uma porta de vidro de correr estão prateleiras repletas de livros. Na Rua Bozano, a sete quadras do centro de Santa Maria, se encontra uma livraria um tanto diferente. Por lá não há só livros não tão badalados, prateleiras lotadas e leitores assíduos. Há também um leitor em especial, o dono e […]

A+ A-

Escondidas atrás de uma porta de vidro de correr estão prateleiras repletas de livros. Na Rua Bozano, a sete quadras do centro de Santa Maria, se encontra uma livraria um tanto diferente. Por lá não há só livros não tão badalados, prateleiras lotadas e leitores assíduos. Há também um leitor em especial, o dono e criador da livraria.

Josmar Borges é filosofo formado na UFSM, agora descrente da academia. Encontrou problemas na pós-graduação, quando decidiu estudar o que ele mesmo considerou algo que não deveria se falar na universidade. Escrevia que a defesa de uma tese é o início da morte dela, pois é defendida como algo perfeito, e não algo complexo, passível de furos. Propagava que a filosofia brasileira não criava, apenas comentava o que os outros criavam. Seu orientador não gostou, e o trabalho foi interrompido. Josmar acabou, por uma questão principalmente de sobrevivência, como um dos criadores da Livraria UFSM, que começou a funcionar na Biblioteca Central da universidade.

Josmar já era leitor e tomou gosto pela coisa. E 17 anos depois resolveu criar sua própria livraria. Primeiro, em 2005, fundou a Editora Anaterra, pela qual foram publicadas 3 obras: Santa Maria, vivências e memórias e dois volumes de Os viajantes olham Porto Alegre. No ano seguinte, veio a livraria Anaterra. O nome veio ao acaso, após uma sugestão de amigos: “A mulher e um amigo que sugeriram. Pensou-se em vários nomes, alguma coisa que fosse aqui do Sul, e ficou essa personagem do Erico Verissimo.”

O livreiro decidiu que sua livraria cumpriria um papel importante, tentaria a difícil tarefa de separar o joio do trigo. Assim como professores, intelectuais e jornalistas, Josmar considera importante que os livreiros também façam uma pré-seleção qualitativa do que será posto à venda. Num mundo onde tudo que parece importar é a quantidade, a Livraria Anaterra é uma exceção: “Eu, aqui dentro, tenho muito pouco livro por acaso. Porque também trabalhamos com livros usados, e às vezes, num pacote, vêm livros assim. Eu nunca trabalhei com Paulo Coelho quando ele vendia bem, mas quando ele não vende mais nada, tenho um ou dois títulos. Mas é muito casual isso. Estava num pacote de livros bons. Eu gosto de bons livros. Mesmo aqui dentro da livraria, que tem uns 15 mil livros, daria pra ser mais radical ainda e excluir mais da metade do material, porque tem muita coisa ruim, e a gente não pode simplesmente aplaudir isso.”

Josmar lembra que os jornalistas são os grandes formadores de opinião da sociedade, inclusive de opinião literária. Mas só o que se vê na imprensa é superficialidade e tecnicismo, talvez pela escassa leitura dos estudantes, tanto de clássicos da filosofia e da sociologia, como de obras mais específicas da área. Para Josmar, o resultado disso é que, por exemplo, as listas de livros mais vendidos raramente trazem uma boa obra: “O livro mais vendido desse ano vai estar na caixa de saldos do ano que vem. É o livro dos Mamonas, é o livro do Gabriel O Pensador, é o livro do Ronaldinho. Às vezes quando tem um livro bom, como é o caso daquele livro do Dráuzio Varela, que faz um levantamento do trabalho dele nas prisões, aí esse ano foi indicado em Santa Maria e não tinha uma barraca da Feira do Livro que tinha.”

A porta de correr da livraria Anaterra fica no número 329 da Rua Bozano, a 7 quadras do centro: “Pessoal reclama muito aqui em Santa Maria que a nossa livraria está a sete quadras do centro. Eu, com 19 anos, visitava livraria em São Paulo no 12º andar. Eu não entendo isso. Mesmo aqui em Santa Maria teve um sebo na Borges de Medeiros e eu ia várias vezes, mesmo morando no campus da UFSM. Mas aqui a cidade é bastante provinciana e tudo tem que estar ao redor do Calçadão.” Para quem não quiser caminhar até lá, fica a opção de comprar através do email anaterra.distribuidora@gmail.com.

UM FILÓSOFO DOS LIVROS, pelo viés de Mathias Rodrigues

mathiasrodrigues@revistaovies.com

inicialmente reproduzido no programa Na Boca Do Monte, da Rádio Universidade

Para ler mais reportagens acesse nosso Acervo.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this pageEmail this to someone
  • Lisi Martins

    Gostei muito da matéria, parabéns!
    Retrata bem essa triste realidade da literatura no Brasil!

    Abraços, Lisi