O 7º GUERRILHA DA PAZ

Identidade, arte, cultura, periferia: o 7º Guerrilha da Paz, na escola municipal Edy Maya Bertoia.

A+ A-

Identidade, arte, cultura, periferia. Palavras e ideias que, no último sábado de outubro, tiveram lugar de destaque na escola municipal santa-mariense Profª Edy Maia Bertoia. Durante toda a manhã, os alunos da escola localizada na Vila Lídia puderam participar das atividades da sétima edição do evento Guerrilha da Paz, realizado pelo CO-RAP (Coletivo de Resistência Artística Periférica). Apesar do céu nublado, do horário atípico para um sábado – oito horas da manhã – e da falta de luz momentânea, os estudantes compareceram, interagiram e participaram das oficinas de teatro, estêncil, capoeira, fanzine e rima.

O Guerrilha da Paz é um evento itinerante, realizado nas escolas dos bairros e vilas da cidade de Santa Maria. A intenção é levar a crianças e jovens das zonas periféricas da cidade, potencialmente mais próximas da violência, da opressão e da discriminação, uma possibilidade diferente de educação. O Coletivo traz para os estudantes, por meio de oficinas e apresentações, as práticas das culturas hip-hop e afro-brasileira. A paz, explícita no nome do evento, é proposta em um sentido exatamente oposto ao do discurso apaziguador elitista: ao invés da paz como princípio moral, que impõe a submissão e nega as contradições, o Coletivo propõe a identidade e a afirmação da cultura que não é a das elites e nem se preocupa em ser.

A escola profª Edy Maya Bertoia, durante algum tempo, foi conhecida na rede municipal de educação de Santa Maria pelo perfil problemático e pelas dificuldades que apresentava para os professores. Espécie de repositório de alunos-problema que não se adaptavam a outras instituições, era a consequência típica de um sistema educacional baseado na segregação e no mérito.

O estigma, ao mesmo tempo que vem sendo superado na escola com projetos como o Mais Educação, foi um dos motivos que instigou o CO-RAP a levar para lá o Guerrilha da Paz. A manhã de sábado trouxe satisfação, não só pelo espaço liberado e pela participação ativa e espontânea dos alunos, mas também pela constatação de que este estereótipo não condiz mais com a realidade da escola – ela caminha em outra direção. 

A oficina de teatro. foto: Tiago Miotto

Alunos na oficina de teatro. foto: Tiago Miotto

Oficina de rima: conversando sobre os fundamentos. foto: Tiago Miotto

oficina de stencil. foto: Tiago Miotto

Intervalo para a segunda rodada de oficinas. foto: Tiago Miotto

Pra oficina! foto: Tiago Miotto

Oficina de capoeira. foto: Tiago Miotto

Ao ar livre, a oficina de capoeira. foto: Tiago Miotto

O espelho. foto: Tiago Miotto

“Algum voluntário para mostrar o próximo exercício?” foto: Tiago Miotto

Na parede, conclusão da oficina de stencil. foto: Tiago Miotto

Na parede, conclusão da oficina de stencil. foto: Tiago Miotto

 

A rima coletiva que saiu na oficina. foto: Tiago Miotto

No fim, apresentações dos rimadores do CO-RAP. foto: Tiago Miotto

No microfone, os resultados da oficina de rima. foto: Tiago Miotto

A vez das alunas: no microfone, os resultados da oficina de rima. foto: Tiago Miotto

O 7º GUERRILHA DA PAZ, pelo viés de Tiago Miotto.

tiagomiotto@revistaovies.com

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this pageEmail this to someone
  • vicopax

    parabens ao vies em especial ao mano tiago mioto nosso parcero de corre e luta. Abraço vicopax

  • igor gomes

    Porra meu o tiago é foda mesmo, o cara escreveu algo sobre o CO_RAP que nem eu conseguiria escrever, sério mesmo o tiago é por ai a parada meu ja pedi pra oxóssi te abençoa e te guiar sempre pelos caminhos do bem e pra afasta todo o mal da tua volta
    e pra oxum te ilumina mano, e que oyá te de força nesta guerra infame que destrói todos que se opoem aos exércitos da intolerância, o viés é linha de frente o CO_RAP é linha de frente quem pensa e questiona é linha de frente e na nossa frente só alegria e sorrisos largos nos dão força na batalha!
    aos amigos do viés um beijo na alma!!!