SANTA MARIA: MANIFESTAÇÕES TOMAM AS RUAS

Mais de 15 mil pessoas tomam as ruas de Santa Maria no primeiro dia de protestos pelo transporte público.

A+ A-

As manifestações populares, que têm levado milhares de brasileiros para as ruas nos últimos dias, receberam hoje uma multidão de mais de 15 mil em Santa Maria, no centro do Rio Grande do Sul.

Às 17h35min, sob o grito de “Vem, vem, vem pra rua, vem, contra o aumento”, a marcha começou seu percurso, descendo a Av. Rio Branco. Milhares de pessoas, carregando cartazes, faixas, bandeiras e caixas de pizza com os nomes dos vereadores de Santa Maria – em referência à CPI da tragédia da Boate Kiss – enfrentaram a chuva e o frio, com gritos de ordem pedindo a redução do preço das passagens.

Foto: Dairan Paul / TrançaRua

Ao chegar à esquina da Vale Machado, próximo à Câmara de Vereadores, a marcha contornou a rótula e subiu a Rio Branco, passando pela frente do Paradão, onde foi recebida com aplausos pelas pessoas que aguardavam por ali. Naquele momento, os manifestantes abaixaram-se todos e fizeram um jogral – em que pessoas no início da passeata falavam e os demais iam repetindo, aos gritos, para que chegasse às pessoas do final  – informando a todos o percurso que tomariam: subiriam a Rua do Acampamento, dobrariam na Pinheiro Machado, e desceriam a Prof. Braga, passando pela frente do DCE.

Os manifestantes responsáveis pela segurança da passeata iam à frente, trancando as ruas transversais. À medida que a Rua do Acampamento ia sendo ocupada pelos manifestantes, mais pessoas juntavam-se, de forma que, quando a ponta da frente da passeata dobrava a Pinheiro Machado, o final ainda passava pelo Viaduto do Behr.  Mais gritos de ordem foram entoados: “Ei, mas que vergonha, a passagem tá mais cara que a maconha!”, “Se a passagem não baixar, Santa Maria vai parar!”, “Ei, Schirmer,  vai tomar no cu!” e “Quem não pula quer aumento!”.

Os cartazes mostravam diversidade nas pautas reivindicadas: pelas licitações, passe livre, redução das tarifas e melhoria nos serviços do transporte público em Santa Maria; por justiça às vítimas da tragédia da Boa Kiss; pelo impeachment do prefeito Cezar Schirmer; pela melhoria dos serviços públicos em geral (educação, saúde e moradia); pela saída de Marco Feliciano da presidência da Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDHM) da Câmara de Deputados; entre várias outras.

Foto: Caren Rhoden / revista o Viés / TrançaRua

Quando passava em frente ao DCE, a viatura da Brigada Militar, que acompanhava a parte de frente da passeata, parou e obstruiu o caminho dos manifestantes. Esse foi um dos poucos momentos de tensão com os policiais, quando o carro foi cercado e as vaias começaram.

Ao passar pela Rua Floriano Peixoto, os gritos começaram a ecoar entre os prédios. Com os moradores saindo às sacadas, os manifestantes começaram a gritar “Quem apoia pisca a luz”, ao que receberam respostas positivas.

Ao passar pelo Calçadão, os gritos viraram-se contra a permanência de Marco Feliciano na presidência da CDHM: “Fora Feliciano”, “Feliciano, que alegria, existe cura para a sua homofobia!” e “Ei, Feliciano, vai tomar no cu”. Em uma alteração desse último, foi entoado rapidamente um “Ei, Dilma, vai tomar no SUS”.

Retornando ao ponto de partida, a Praça Saldanha Marinho, os manifestantes pularam e gritavam “Da Copa, da Copa, da Copa eu abro mão, eu quero é 10% do PIB pra Educação”. A multidão abaixou-se mais uma vez e fez uma grande onda.

No início da noite, com a chuva voltando a ficar mais forte, o movimento foi se dispersando, mas não antes de um último grito: “Sábado vai ser maior! Sábado vai ser maior! Sábado vai ser maior!”. 

Foto: Nathália Schneider / TrançaRua

SANTA MARIA: MANIFESTAÇÕES TOMAM AS RUAS, pelo viés de Felipe Severo para o TrançaRua

trancarua@revistaovies.com

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this pageEmail this to someone