“VÂNDALO É O GOVERNO”

Sequência de fotos das manifestações em Porto Alegre, ocorrida ontem, contra o aumento do valor das passagens do transporte coletivo.

A+ A-

Na noite de ontem, dia 13 de junho, manifestações populares contrárias aos aumentos nos valores das tarifas do transporte coletivo tomara ruas e avenidas centrais em diferentes cidades do país, como São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Goiânia, Natal e Maceió.

O jornalista Calvin Furtado acompanhou as manifestações em Porto Alegre, de onde traz uma mostra de fotografias. Na capital gaúcha, onde o Tribunal de Contas do Estado (TCE-RS) emitiu medida cautelar determinando que a Empresa Pública de Transporte e Circulação de Porto Alegre (EPTC) mantenha o valor da tarifa de ônibus em R$ 2,85, mais de duas mil pessoas tomaram as ruas do centro da cidade. Houve conflito com a Brigada Militar na Avenida João Pessoa, e parte dos manifestantes se dispersou por ruas secundárias do Bairro Cidade Baixa. No momento mais tenso da noite, a polícia perseguiu manifestantes e avançou contra um grupo de pessoas usando bombas de gás lacrimogênio, de efeito moral e balas de borracha.

Novamente a truculência policial foi evidente. No Rio Grande do Sul, a Brigada Militar prendeu 23 manifestantes. Em São Paulo, a Abraji (Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo) condenou a prisão dos jornalistas da Carta Capital e o fotógrafo do portal Terra, detidos pela PM. A Anistia Internacional divulgou nota nessa quinta-feira (13) afirmando ver com preocupação o aumento da violência na repressão aos protestos contra o aumento das passagens de ônibus no Rio e em São Paulo. Em Porto Alegre, além dos cartazes que declararam apoio aos movimentos realizados em outras capitais do Brasil, como o movimento paulista, muitos porto-alegrenses comunicaram sua indisposição com o poder que “há muito não os representa”. Em consonância, o movimento paulistano ergueu uma faixa com os dizeres “Vamos repetir Porto Alegre”, demonstrando que o movimento é articulado e trabalha conscientemente sobre vitórias recentes, como na capital gaúcha, onde após os primeiros protestos, em maio, o juiz Hilbert Maximiliano Akihito Obara determinou a redução do valor da passagem dos ônibus de Porto Alegre de R$ 3,05 para R$ 2,85.

Abaixo, um poema de Caren Rhoden e as fotografias de Calvin Furtado.

Aos jovens,
lhes daremos a parede
para que meditem a ordem.

Aos olhos dos jovens,
a ponta da desilusão
e, às suas mãos,
algemas.

Aos jovens,
o urro, o ódio
e o desprezo.

Aos jovens,
minas de tristeza
e uma realidade áspera.

Aos jovens,
tanques de indigência
e flores caídas,
como que despencadas
de mãos pacíficas.

Aos jovens,
o amargor do alerta
para a fuga.

Aos jovens,
nosso velho animal
para que reciclem um mundo seco,
no furor de um embate sem glória.

(Caren Rhoden)

 

     
                

 

“VÂNDALO É O GOVERNO”, poema pelo viés de Caren Rhoden e fotografias pelo viés de Calvin Furtado

carenrhoden@revistaovies.com

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this pageEmail this to someone
  • Pedro Souza

    Discordo em partes. Vândalos são aqueles que promoveram a dependência dos poderes municipais ao capital (PSDB/DEMo). Vândalos são aqueles que partidarizam os comandos da polícia (PSDB em SP e PSDB da Yeda no RS), e por fim vândalos são aqueles que tentam ligar o governo federal a sacanagem da inflação criada nas redações da rede globo.