O GATO MALHADO E A ANDORINHA SINHÁ

Pelo viés do Teatro Por Que Não, – 18 de abril – Apresentação pelo projeto Treze: O Palco da Cultura, no Theatro Treze de Maio.

A+ A-

Foto: Leonardo Bergonci

Inspirado no conto homônimo de Jorge Amado, o espetáculo mostra a transformação das criaturas sob a influência do amor, num desenrolar de declarações que permeiam as quatro estações. Gato e andorinha, espécies que originalmente vivem em descompasso, apaixonam-se e degustam de uma melodia que aos poucos é interferida pelos ruídos do restante da população que vive no parque.

A peça será apresentada na quarta-feira, 18 de abril, no Theatro Treze de Maio, às 20h30min. Os ingressos custam R$ 14,00 para o público em geral, R$ 7,00 para estudantes e R$ 10,00 para sócios do Treze. A realização é do Teatro Por que não?, promoção do Theatro Treze de Maio, através do projeto Treze: o Palco da Cultura, e incentivo da Lei de Incentivo à Cultura de Santa Maria.

SOBRE A MONTAGEM
Para o ano do centenário de Jorge Amado, grande escritor da literatura brasileira, o Teatro Por Que Não? preparou a montagem do espetáculo O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá, livremente inspirado do conto homônimo do autor.
Com cor, brilho, música e poesia, quatro atores contam e cantam a história do parque onde acontece a trama, através do texto e de uma trilha sonora criada especialmente para a peça, e executada ao vivo pelos atores. Com violão, banjo e instrumentos percussivos, unidos as vozes das distintas personagens, as letras e melodias invadem o espaço cênico, propondo ao público que cante junto e vivencie também momentos de descontração.
Há também, na cenografia e no figurino, o uso de sucata como matéria-prima, fazendo com que a reciclagem se torne o mote da criação estética desses elementos. Embalagens plásticas, papelão usado, frascos descartáveis, dentre outros materiais, constituem todo o cenário da peça, pensando na poética que o lixo propõe quando é reutilizado para diversos fins e, dentre eles, está o fazer teatral.

Foto: Leonardo Bergonci

FICHA TÉCNICA
Texto: Jorge AmadoAdaptação do texto: O grupo. Direção e Iluminação: Juliet Castaldello, de Gabriela, Cravo e CanelaElenco: Adriano Taques, Evelíny Pedroso, Giuliano Bohn e Luiza de Rossi. (de “O abajur lilás”Cenografia: Evelíny Pedroso e Luiz Abegg ( de “Um traço fino de dizer grosso). Figurino: Micheli Daronch. Trilha Sonora: Adriano Taques e Evelíny Pedroso. Maquiagem e programação visual: Aline Ribeiro
Duração: 45min
Classificação: Livre
Realização: Teatro Por Que Não?

CURRÍCULO DO ESPETÁCULO

Apresentações realizadas
2011
2 e 3 de dezembro – Estreia do espetáculo no Teatro Caixa Preta, do Centro de Artes e Letras da UFSM, em Santa Maria – RS.

Futuras apresentações
2012
18 de abril – Apresentação pelo projeto Treze: O Palco da Cultura, no Theatro Treze de Maio, em Santa Maria – RS.
08 de maio – Duas apresentações na Feira do Livro, em Caçapava do Sul.

O GATO MALHADO E A ANDORINHA SINHÁ, pelo viés dos colaboradores do Teatro Por Que Não.
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this pageEmail this to someone